sábado, 22 de maio de 2010

II Seminário Municipal de Entidades e Conselho de Classe

O Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD) realizará no dia 29 de maio de 2010, sábado, às 8 horas o II Seminário Municipal de Entidades e Conselho de Classe, no Centro Universitário Sant’Anna, Rua Voluntários da Pátria, nº. 257 Santana – São Paulo.

O objetivo do evento é ampliar o debate sobre o papel de organizações não governamentais e Conselhos de Classe, na disseminação de conhecimentos para a mudança das políticas públicas e garantia dos direitos da pessoa com deficiência na sociedade. Questões como: Direito à educação: Escolas especiais e atendimento educacional especializado, Assistência Social: Tipificação dos serviços sócio-assistencialistas do município, Saúde e Transporte: Portaria 004 (Aquisição do bilhete único especial) e Trabalho: Lei de cotas e lei de aprendizagem serão discutidos nesse evento.


Serviço:
IIº Seminário Municipal de Entidades e Conselhos de Classe
Local: Centro Universitário Sant’Anna
Rua: Voluntários da Pátria, nº. 257
Santana – São Paulo / SP.
Horário: 09h00 às 17h00.
Credenciamento: 08h00 às 09h00
Público alvo: Entidades e Conselho de Classe

Inscrição: Somente pela internet. e-mail: semmunicipalentidades@yahoo.com.br.
Cada entidade tem o direito de inscrever 3 (três) representantes

quinta-feira, 20 de maio de 2010

II Seminário da série “Mobilidade e Transportes Sustentáveis”

A Saúde e a Mobilidade na cidade de São Paulo


O GT Mobilidade Urbana do Movimento Nossa São Paulo e a Comissão de Trânsito, Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia da Câmara Municipal de São Paulo , dando continuidade a agenda, convida para o próximo debate da série de seminários sobre “Mobilidade e Transporte Sustentáveis”.

O segundo seminário da série será no próximo dia 07 de junho, das 18h30 às 21h30, no Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal, e terá como tema “A Saúde e a Mobilidade na cidade”.

Com o objetivo de construir uma agenda para a cidade envolvendo sociedade civil e poder público, o primeiro seminário abordou os desafios da mobilidade em São Paulo, a avaliação dos indicadores técnicos, e agora será a relação entre transporte e saúde.

Os seminários seguintes, no segundo semestre, abordarão as propostas (vinculadas aos orçamentos municipal e estadual) para um Plano Municipal de Mobilidade e Transporte Sustentáveis.

Palestrantes confirmados até o momento:


Mara Gabrili, vereadora, representante da Comissão de Transportes da Câmara Municipal;

Paulo Saldiva, médico patologista, Professor Titular de Patologia da FMUSP, coordenador do Laboratório de Poluição Atmosférica da FMUSP;


Inês Suarez Romano, coordenadora da vigilância em saúde (COVISA), orgão da Secretaria Municipal de Saúde; e

Henry Joseph Junior , Presidente da Comissão de Energia e Meio Ambiente da ANFAVEA.


Serviço:

Seminário “Saúde e Mobilidade na cidade de São Paulo”

07/6, segunda-feira, das 18h30 às 21h30

Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo – Vd Jacareí, 100 - Centro


Este Seminário poderá ser acompanhado ao vivo pelo site da TV Câmara, www.tvcamarasp.com.br.

Dúvidas e sugestões podem ser enviadas para transito@camara.sp.gov.br.

Acompanhe também pelo Twitter: @dmsc_sp e @nossasaopaulo,

e pelo Ning do Dia Mundial Sem Carro: www.diamundialsemcarro.ning.com


Veja e divulgue o cartaz:

http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/arquivos/cartaz_seminarios_mobilidade_camara2010.pdf



Se possível, confirme sua presença pelo e-mail: andrea@isps.org.br



Próximos seminários:



20/9 – Plano Municipal de Mobilidade e Transportes Sustentáveis

21/9 – A Experiência de Mobilidade da Cidade de Bogotá

8/11 – Orçamento da cidade de São Paulo e do Estado para as áreas de transportes e mobilidade urbana

Movimento Nossa São Paulo

WWW.nossasaopaulo.org.br

quinta-feira, 13 de maio de 2010

1º CONGRESSO IOS DE INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E JOVENS NO MERCADO DE TRABALHO

Clique na imagem para ampliá-la.



Público Alvo: Empresas que buscam aprimorar seus conhecimentos sobre os temas: Lei da Aprendizagem, Lei da Inclusão de Pessoas com Deficiência, Responsabilidade Social Corporativa e Sustentabilidade.

Participarão como palestrantes no Congresso: José Roberto de Melo - Superintendente Regional e José Carlos do Carmo - Auditor fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo.

Data: 21 de maio de 2010 / Horário: 08h15min as 19h30min

Local: Auditório TOTVS – Av. Braz Leme, 1717 – Santana
São Paulo – SP – CEP: 02511-000
Estacionamento gratuito no local.

* Valor da Inscrição: R$ 190,00

O pagamento da taxa de inscrição deve ser efetuado através de depósito bancário no Banco Itaú:

Instituto da Oportunidade Social
CNPJ: 02.449.283/0001-89
Ag: 3131
C/C: 02802-3.

Encaminhar o comprovante de pagamento para o e-mail congresso@ios.org.br para confirmação da inscrição.

* Todo a verba arrecadada no Congresso será revertida para a Formatura de 700 jovens e 25 pessoas com deficiência que estão em capacitação no Instituto da Oportunidade Social.

Informações e inscrições:
Elaine Santos - 11 2099-7232 - congresso@ios.org.br

Oscip, Utilidade Pública e Entidade de Fins Filantrópicos: semelhanças e diferenças

A primeira decisão que um grupo de pessoas que decide formar uma organização ou entidade da sociedade civil deve tomar é o tipo de formatação jurídica que sua organização adotará.
Considerando-se que ela não tenha o intuito de lucro, nem tenha como objetivo a atividade político-partidária, a organização poderá formar-se como uma fundação ou uma associação.

Uma vez organizada em um destes formatos, a entidade pode buscar a obtenção de títulos ou certificados que atestam sua qualidade de OSCIP, de utilidade pública ou de fins filantrópicos, todos documentos que viabilizam às entidades alguns benefícios legais, de que trataremos abaixo.

O termo OSCIP - organização da sociedade civil de interesse público - refere-se à qualificação regulada pela Lei 9.790/99 e que pode ser solicitada por organizações do terceiro setor. A qualificação de OSCIP veio somar-se às anteriores titulações de entidade de utilidade pública (no âmbito federal, Lei 91 de 28/08/35; Lei 6.639, de 08/05/79; Decreto 50.517, de 02/05/61; e Decreto 60.931, de 04/07/67) e entidade de fins filantrópicos, hoje chamada de entidade beneficente de assistência social (Lei 8.742, de 08/12/1993; Decreto 2.536, de 06/04/98; Decreto 3.504, de 13/06/00; e Resolução 177, de 10/08/00 do Conselho Nacional de Assistência Social).

É preciso atentar para o fato de que todas as normas acima citadas continuam em vigor, mas que hoje uma entidade deve optar pelo título que lhe parecer mais conveniente, consideradas sua estrutura e objetivos institucionais. Se optar por ser uma OSCIP, por exemplo, a entidade não poderá solicitar a declaração de utilidade pública.

Assim, é importante ponderar sobre os prós e contras de cada um destes títulos. Ao tomar sua decisão, tenha em vista o seguinte:

OSCIP:

- titulação concedida no âmbito federal, pelo Ministério da Justiça;

- a obtenção da qualificação é mais rápida, menos burocrática e mais barata que nos demais casos;

- algumas espécies de organizações que não estavam enquadradas nas legislações anteriores foram abrangidas pela nova lei, como as entidades que defendem direitos, as que promovem a proteção ambiental e as que trabalham com microcrédito 1;

- possibilidade de firmar Termo de Parceria com o poder público, o que possibilita uma aplicação menos rígida dos recursos estatais em termos burocráticos e, ao mesmo tempo, traz garantias (mecanismos de controle) adicionais de que o valor será efetivamente destinado a fins sociais;

- a penalização pelo mau-uso da verba é mais severa, mas o controle foca muito mais nos resultados;

- possibilidade de imediata re-apresentação do pedido, caso a solicitação de certificado seja negada, assim que as alterações solicitadas forem incorporadas;

- seus dirigentes podem ser remunerados;

- as informações sobre as OSCIPs são públicas, existindo vários dispositivos que visam garantir a transparência da entidade, como as Comissões de Avaliação, o Conselho Fiscal, e a adoção de práticas de gerenciamento que dificultam a busca de interesses pessoais;

- a lei das OSCIP exclui algumas entidades que não podem solicitar esta titulação, como as escolas e hospitais, entre outros.

Utilidade Pública:

- este título é comumente exigido para a concessão de isenção (imunidade prevista na Constituição) dos impostos estaduais e municipais, como ICMS, IPVA, IPTU e ISS;

- o título é também exigido para a requisição ao INSS da isenção de pagamento da cota patronal;

- a entidade que optar por esta qualificação não poderá requerer o título de OSCIP;

- a entidade deve estar em funcionamento contínuo e efetivo por 3 (três) anos, possuindo personalidade jurídica, tendo sido constituída no Brasil;

- concedida nos âmbitos federal (Ministério da Justiça), estadual e municipal;

- sendo negado o pedido inicial, a entidade deverá aguardar um período de 2 anos para re-apresentação;

- abrange entidades que trabalhem desinteressadamente a favor da coletividade;

- os dirigentes da entidade não podem ser remunerados;

- a titulação federal possibilita o recebimento de doações da União e de receitas das loterias federais;

- os fundos públicos são despendidos de forma bastante rígida e o controle sobre a realização dos objetivos do projeto é exercido em grande parte em relação à forma de aplicação dos recursos;

- a prestação de contas é burocrática, exigindo apresentação de extensa documentação e relatórios, e sendo disciplinada por norma própria;

- em caso de mau-uso da verba, a responsabilização se dá pela devolução do montante e aplicação de multa;

- a entidade titulada no âmbito federal pode fornecer aos seus doadores recibo que possibilita dedução no imposto de renda;


Fins Filantrópicos / Assistência Social / CEBAS:

- concedida no âmbito federal, pelo Conselho Nacional de Assistência Social;

- possibilita isenção de pagamento da cota patronal de seguridade social;

- imprescindível para a celebração de convênio com a União;

- sua concessão depende da apresentação de vasta documentação, inclusive registro anterior no CNAS e no Conselho Municipal de Assistência Social do município de sua sede e Declaração de Utilidade Pública Federal, entre outros (ver item sobre a documentação à titulação abaixo);

- a entidade deve estar em funcionamento contínuo e efetivo por 3 (três) anos, tendo sido constituída no Brasil;

- abrange somente entidades que trabalhem com a promoção da proteção da família, infância, maternidade, adolescência e velhice; amparo às crianças e adolescentes carentes; prevenção, habilitação, reabilitação e integração das pessoas com deficiência; integração ao mercado de trabalho; assistência educacional ou de saúde; desenvolvimento da cultura; atendimento e assessoramento ao beneficiários da Lei Orgânica da Assistência Social;

- os dirigentes da entidade não podem ser remunerados;

- os fundos públicos são despendidos de forma bastante rígida e o controle sobre a realização dos objetivos do projeto é exercido em grande parte em relação à forma de aplicação dos recursos;

- em caso de mau-uso da verba, a responsabilização se dá pela devolução do montante e aplicação de multa.

As informações das tabelas acima se destinam a traçar um panorama geral das opções que se colocam às organizações da sociedade civil quando decidem obter algum tipo de qualificação concedido por órgão público, buscando traçar suas principais características e decorrentes benefícios e desvantagens. Quando você se decidir por algum destes títulos, verifique os sites oficiais do Ministério da Justiça ou do Conselho Nacional de Assistência Social - órgãos públicos que concedem tais certificados - para ter acesso à toda legislação pertinente.

*para ver a versão para impressão ou para salvar os documentos abaixo em seu computador, consulte a área "Caixa de Ferramentas", na página principal da seção Ferramentas de Gestão.

Documentação Necessária para a Titulação 2

Documentação exigida para obtenção do título de OSCIP:

DOCUMENTOS

1.Requerimento da qualificação como OSCIP dirigido ao Senhor Ministro de Estado da Justiça, conforme o modelo de requerimento fornecido pelo Ministério da Justiça;

2.Estatuto 3 Registrado em Cartório (cópia autenticada), conforme o art. 5º, inc. I da Lei nº 9.790/99;

3.Ata de Eleição e Posse da Atual Diretoria Registrada em Cartório (cópia autenticada), conforme o art. 5º, inc. II da Lei nº 9.790/99;

4.Balanço Patrimonial (BP) e Demonstração de Resultado do Exercício (DRE), assinados por contador devidamente registrado no respectivo Conselho Regional de Contabilidade, conforme o art. 5º, inc. III da Lei nº 9.790/99. Para entidades recém criadas que ainda não completaram seu primeiro exercício fiscal, admite-se a substituição da DRE por um Balanço Atualizado, com as receitas e despesas do período;

5.Declaração de Informações Econômico-fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ), conforme o art. 5º, inc. IV da Lei nº 9.790/99. Maiores informações sobre a DIPJ podem ser obtidas na página eletrônica da Secretaria da Receita Federal ( www.receita.fazenda.gov.br).

6.Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ - copia autenticada), conforme o art. 5º, inc. V da Lei nº 9.790/99;

7.Recomenda-se que os dirigentes da entidade prestem declaração individual de que não exercem cargo, emprego ou função pública, conforme o disposto no parágrafo único do art. 4º da Lei nº 9.790/99.



Documentação exigida para declaração de Utilidade Pública Federal:


DOCUMENTOS

1.Ficha de Cadastramento de Entidade

2.Requerimento dirigido ao Excelentíssimo Senhor Presidente da República solicitando a declaração federal de utilidade pública original;

3.Estatuto (cópia autenticada); se a entidade for fundação, observar os arts. 62 a 69 do Código Civil c/c os artigos 1.199 a 1.204 do CPC;

4.Certidão simplificada dos atos constitutivos, obtida no Cartório de Registro das Pessoas Jurídicas

5.Cláusula do Estatuto onde conste que a instituição não remunera, por qualquer forma, os cargos de sua diretoria e conselhos, e que não distribui lucros, bonificações ou vantagens a dirigentes, mantenedores ou associados, sob nenhuma forma ou pretexto

6.C.N.P.J. (cadastro nacional de pessoa jurídica)

7.Atestado de autoridade local (Prefeito, Juiz de Direito, Delegado...) informando que a instituição esteve, e está, em efetivo e contínuo funcionamento nos 3 (três) últimos anos

8.Relatórios quantitativos em termos percentuais com gratuidade e qualitativos das assistências realizadas nas atividades desenvolvidas pela entidade nos três últimos anos, separadamente, ano por ano

9.Ata da eleição da diretora atual, registrada em cartório e autenticada

10.Qualificação completa dos membros da diretoria atual e atestado de idoneidade moral, expedido por autoridade local (se de próprio punho, deverá ser sob as penas da lei)

11.Quadro detalhado das receitas e despesas dos 3 (três) últimos anos, separadamente, assinado por profissional habilitado, com carimbo e nº do CRC

12.Declaração da requerente de que se obriga a publicar, anualmente, o demonstrativo de receitas e despesas realizadas no período anterior, quando subvencionada pela União


Documentação exigida para certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social:


DOCUMENTOS

1.Requerimento/formulário fornecido pelo CNAS, devidamente preenchido, datado e assinado pelo representante legal da entidade, que deverá rubricar todas as folhas;

2.Cópia autenticada do estatuto registrado, na forma da lei, com identificação do Cartório em todas as folhas e transcrição dos dados de registro no próprio documento ou em certidão;

3.Cópia da ata de eleição dos membros da atual diretoria, devidamente averbada no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas;

4.Declaração de que a entidade está em pleno e regular funcionamento, cumprindo suas finalidades estatutárias e no qual conste a relação nominal, dados de identificação e endereço dos membros da Diretoria da entidade, conforme modelo fornecido pelo CNAS, assinado pelo dirigente da Instituição;

5.Relatórios de atividades dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade, comprovando estar desenvolvendo plenamente seus objetivos estatutários;

6.Balanços patrimoniais dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade e por técnico registrado no Conselho Regional de Contabilidade;

7.Demonstrativos do resultado dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade e por técnico registrado no Conselho Regional de Contabilidade.

8.Demonstração de mutação do patrimônio dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade e por técnico registrado no Conselho Regional de Contabilidade;

9.Demonstração das origens e aplicações de recursos dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade e por técnico registrado no Conselho Regional de Contabilidade;

10.Notas explicativas dos três exercícios anteriores ao da solicitação, evidenciando o resumo das principais práticas contábeis e os critérios de apuração do total das receitas, das despesas, da gratuidade, tipo de clientela beneficiada com atendimento gratuito, bolsas de estudos, das doações, das subvenções e das aplicações de recursos, bem como da mensuração dos gastos e despesas relacionadas com a atividade assistencial;

11.Comprovante de inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social do município de sua sede, se houver, ou no Conselho Estadual de Assistência Social, ou Conselho de Assistência Social do Distrito Federal;

12.Demonstrativo de serviços prestados dos três exercícios anteriores ao da solicitação, assinados pelo representante legal da entidade e por técnico registrado no Conselho Regional de Contabilidade;

13.Cópia autenticada e atualizada do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (antigo CGC), fornecido pelo Ministério da Fazenda.

14.Cópia autenticada da escritura de sua instituição, devidamente registrada no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas, ou lei de sua criação;

15.Comprovante da aprovação do estatuto, bem como de suas respectivas alterações, se houver, pelo Ministério Público.

**OBS. Os itens 14 e 15 aplicam-se apenas às Fundações

Sites de referência:

Site oficial contendo informações sobre a qualificação como OSCIP: http://www.mj.gov.br/snj/oscip/default.htm

Site oficial contendo informações sobre a declaração de utilidade pública federal:
http://www.mj.gov.br/snj/utilidadepublica/legislacao.htm

Site oficial contendo informações sobre a certificação de entidade beneficente de assistência social:
http://www.assistenciasocial.gov.br/iframe/cnas/cnas.htm

Sugestões para leitura:

* BARBOSA, Maria Nazaré Lins e OLIVEIRA, Carolina Felippe de. Manual de ONGs - Guia Prático de Orientação Jurídica. 4ª edição, Editora FGV, Rio de Janeiro, 2003
*
CARRAZZA, Roque Antonio. Curso de Direito Constitucional Tributário. 20ª edição, Malheiros Editores, São Paulo, 2003
*
COELHO, Simone de Castro Tavares. Terceiro Setor. SENAC, São Paulo, 2000
*
IOSCHPE, Evelyn Berg. Terceiro Setor - Desenvolvimento Social Sustentado. Paz e Terra, São Paulo, 1997
*
MEIRELLES, Hely Lopes. Direito Administrativo Brasileiro . 23ª edição, Malheiros Editores, São Paulo, 1990
*
ROCHA, Silvio Luiz Ferreira. Terceiro Setor. Malheiros Editores, São Paulo, 2003
*
SZAZI, Eduardo. Terceiro Setor - Regulação no Brasil. 3ª edição, Editora Fundação Peirópolis, São Paulo, 2003
*
Lei 9790/99 como Alternativa para o Terceiro Setor . 2ª edição, Ministério da Justiça, Comunidade Solidária (disponível on line em , acesso em 19/11/2004

(1) NOTE que se sua entidade vai trabalhar com microcrédito ela tem que formalizar-se como OSCIP, sob pena de aplicação da Lei da Usura, com o controle do valor dos juros a serem aplicados. voltar ao ponto

(2) Fonte: sites oficiais do Ministério da Justiça e do Conselho Nacional de Assistência Social. voltar ao ponto

(3) Algumas observações sobre o Estatuto: os objetivos sociais no Estatuto devem atender ao menos uma das finalidades do art. 3º da Lei 9.790/99. As cláusulas estatutárias que disponham expressamente sobre as matérias referidas no art. 4º da Lei 9.790/99. Por fim, as entidades que prestam serviços de educação ou de saúde devem fazer constar em seus estatutos que tais serviços serão prestados de forma inteiramente gratuita, conforme art. 3º, incisos III e IV, da Lei nº 9.790/99 e art. 6º do Decreto 3.100/99. voltar ao ponto



Autor: Instituto Pro-Bono

23ª Audiência de Sustentabilidade Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência

Sabesp faz Audiência de Sustentabilidade sobre inclusão

Jaqueline Lasko - 12/05/2010

Dia 31 de maio de 2010, a Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – realizará encontro sobre “Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência” a fim de divulgar projetos ecológicos, sociais, culturais, científicos, educacionais, esportivos e artísticos em defesa da sustentabilidade.

Atualmente, no Brasil, há em torno de 30 milhões de portadores de necessidades especiais que, para conseguir ultrapassar limitações e preconceitos, necessitam de apoio das empresas, da sociedade e do governo. Reconhecendo que ainda há muito a fazer para oferecer condições adequadas e melhorar a acessibilidade para estas pessoas, a audiência, gratuita, terá como propósito discutir tópicos que favoreçam essas questões. Afinal, mesmo com o reconhecimento da Lei Federal 8.213/91 (que assegura 5% de cota preferencial efetiva em grandes empresas) e a NBR 9050/04 (que estabelece um ambiente de trabalho agradável, no qual o portador se movimentar sem restrições e obter segurança e conforto), boas iniciativas são sempre relevantes, já que a questão afeta toda sociedade.

No dia da 23ª. Audiência da Sustentabilidade, serão distribuídos exemplares do livro Manual da Convivência ou Desenho Universal, da Vereadora Mara Gabrilli, aos 200 primeiros participantes que chegarem ao local. Também será realizado sorteio de 20 exemplares do novo livro Vai Encarar? – A Nação (quase) Invisível de Pessoas com Deficiência, da jornalista Cláudia Matarazzo.

23ª Audiência de Sustentabilidade Inserção e Valorização da Pessoa com Deficiência
Rua Kenkiti Simomoto, 80
Bairro do Jaraguá, São Paulo/SP
Horário: 14h às 16h30
Entrada gratuita/Não há necessidade de inscrição prévia

Clique na imagem para ampliá-la.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE INTERVENÇÕES BREVES PARA O USO DE DROGA

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL SOBRE INTERVENÇÕES BREVES PARA O USO DE DROGA:
Experiencias Brasileiras e Internacionais

10 e 11 de Junho de 2010- Quinta e Sexta feira
Horário: 8:30 às 18:00h

Local:

Anfiteatro Marcos Lindenberg - Rua Botucatu, 862 - Vila Clementino

Investimento

R$ 150,00 - Profissionais

R$ 120,00 - Estudantes e Instituições

O Simpósio discutirá as experiências nacionais e internacionais sobre intervenções breves, com usuários de álcool e outras drogas.


Temas Abordados:

*
Intervenções Breves para usuários de drogas em serviços de saúde e suporte social
*
Intervenções Breves como atividades preventivas

Fonte: http://proex.epm.br/eventos10/drogas/index.html

quarta-feira, 5 de maio de 2010

ECO Business 2010

Sobre a ECO Business
A ECO Business é um evento de disseminação de conceitos e práticas sustentáveis. A Feira e Congresso Internacional de Econegócios e Sustentabilidade, promovida pela MES Eventos desde 2008 em São Paulo, reúne empresas que desenvolvem projetos sustentáveis, ecoprodutos e serviços, com o intuito de gerar negócios, promovendo integração, troca de informações e geração de conhecimento nas esferas social, ambiental e econômica.

A ECO Business acontecerá nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro no Centro de Exposições Imigrantes.Pavilhão de Convenções. Horário : 13h às 21 h.

Além da feira onde as empresas se apresentam em estandes, é realizado também o Congresso Negócios e Cidades Sustentáveis, que discuti temas relevantes como projetos adotados por governos, empresas, ONGs e universidades, visando entendimento das estratégias e resultados obtidos para melhorar a vida nas cidades com a implementação de iniciativas sustentáveis e como podemos nos organizar para gerar riqueza e lucratividade nas cidades impactando menos o meio ambiente.

Público- alvo

INICIATIVA PRIVADA – Estrategistas, executivos e técnicos nas áreas de:

∙ Sustentabilidade

∙ Responsabilidade social

∙ Recursos humanos

∙ Comunicação e marketing

∙ Relações com investidor

∙ Relações institucionais

GOVERNO – Estrategistas do governo (prefeitos, governadores, secretários municipais e estaduais, coordenadores e executores de programas)

ONGs – Diretores e colaboradores

FUNDAÇÕES EMPRESARIAIS

INVESTIDORES EM PROJETOS DE ECONEGÓCIOS E SUSTENTABILIDADE

DECISORES ESTRATÉGICOS ( Diretores, Gerentes, Autoridades)

DECISORES TÉCNICOS -

∙ Engenheiros Ambientais

∙ Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente

∙ Engenheiros Agrônomo / Florestal /Saneamento

∙ Economistas

∙ Profissionais de finanças

∙ Agências financiadoras nacionais e internacionais (Banco Mundial, BID)

∙ Arquitetos

∙ Urbanistas

∙ Profissionais do terceiro setor

∙ Professores

∙ Estudantes

A ECO Business acontecerá nos dias 31 de agosto, 1 e 2 de setembro no Centro de Exposições Imigrantes.Pavilhão de Convenções. Horário : 13h às 21 h.

Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas

P+L 2010 debate “Economia verde” com o apoio da FSP USP

A Conferência Produção mais Limpa (P+L 2010) que acontece em 12 de maio, no Memorial da América Latina, tem por objetivo compartilhar, adquirir conhecimento e propor soluções práticas que podem ser implantadas na capital paulista.

Está cada vez mais evidente a preocupação mundial com as questões relacionadas às mudanças climáticas. Assim como a Conferência Internacional de Copenhague, que aconteceu no último mês de dezembro, outras iniciativas para discutir o assunto estão sendo desenvolvidas regionalmente. Exemplo é a Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas, da Cidade de São Paulo, organizada pela Câmara Municipal de São Paulo, que chega este ano à sua 9ª edição.

O evento, que é gratuito, reúne especialistas, empresários, representantes do poder público e da iniciativa privada, ONGs, estudantes, professores, jornalistas e cidadãos interessados em debater sobre temas específicos, que fazem parte das grandes preocupações da metrópole. É uma oportunidade única para interagir com um público interessado em conhecer tendências, novas tecnologias, produtos e serviços alinhados aos parâmetros da sustentabilidade. Cases que mostram resultados práticos aplicados ao mundo dos negócios são apresentados por empresas e entidades, em painéis e na área de exposição.

Com o apoio da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, a Conferência é inspirada no conceito de “produção limpa” defendido pela ONU, que tem por objetivo incentivar estratégias de desenvolvimento baseadas na sustentabilidade. Isso é fazer mais e melhor com menos impacto ambiental. O evento é uma iniciativa pioneira para promover a conscientização e mostrar mais uma vez o potencial de São Paulo para discutir e implantar políticas inovadoras.

Já foram discutidos temas como etanol, gestão ambiental e impacto das mudanças climáticas na saúde e esse ano será debatido “Economia verde frente às mudanças climáticas”. Na programação serão apresentadas alternativas para geração de renda com sustentabilidade, como novas tecnologias e oportunidades de “empregos verdes” no mercado de trabalho.

A Conferência está estruturada com uma palestra magna, Relação entre economia e meio ambiente. O primeiro painel dará um panorama sobre a Contribuição das empresas e do setor econômico na redução das emissões de GEE e com iniciativas para gerar emprego em locais de trabalho verde, o segundo irá tratar da Avaliação do Potencial de Empregos Verdes e o terceiro mostrará iniciativas da Cidade de São Paulo – do global ao local. Ao final da Conferência é apresentada uma Carta de Compromisso, com propostas de ações relacionadas ao tema, que contribuem para a melhoria da qualidade de vida dos paulistanos.

Este ano, o evento acontece mais uma vez no Memorial da América Latina, no dia 12 de maio e todos os cidadãos estão convidados a participar. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site: www.anggulo.com.br

SERVIÇO

9ª Conferência de Produção Mais Limpa e Mudanças Climáticas da Cidade de São Paulo

Data - 12 de maio de 2010 - Horário – 8h00 às 17h00
Local - Memorial da América Latina

Juventude brasileira e suas relações com o mundo do trabalho.

Mesa-redonda no IP sobre trabalho

No dia 10, das 14 às 17 horas, a equipe do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho do Instituto de Psicologia (IP) da USP organiza atividades para lembrar o Dia do Trabalho. O evento é anual e a temática é sempre o trabalho tomado em suas múltiplas dimensões.

Para este ano, foi organizada uma mesa-redonda que terá como tema de debate as diversas realidades da juventude brasileira e suas relações com o mundo do trabalho e as políticas públicas de trabalho, emprego e renda voltadas aos jovens.

As participantes serão: Helena Wendel Abramo, socióloga da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, Kimi Aparecida Tomizaki, professora da Faculdade de Educação (FE) da USP, e Neiva dos Santos Cunha, coordenadora técnica social do Centro de Formação e Integração Social de São Bernardo do Campo.

O debate acontece no Auditório Aurora Furtado, no Instituto de Psicologia (IP) da USP.

O evento é gratuito e não há necessidade de inscrições prévias.
Endereço: Av. Prof. Mello Moraes, 1721, Cidade Universitária, São Paulo
Contato: (11) 3091-4178, email cpat@usp.br

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Atividades gratuitas na Conferência Internacional Ethos 2010! Participe!

Não é preciso fazer sua inscrição para as atividades gratuitas.

Algumas atividades da Conferência Internacional 2010 são gratuitas. Para elas, você não precisa se inscrever. A disponibilidade de lugares nas salas será organizada no dia e horário das próprias atividades. Basta você comparecer.
ATIVIDADES GRATUITAS NA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL! Participe!


11/05

15h00 – 18h00

Debate “RSE na Mídia”
“A Imprensa como Indutora da Sustentabilidade na Pauta Política”

Moderador
Paulo Itacarambi (Vice Presidente Executivo do Instituto Ethos)

Jornalistas
Cristiana Lôbo (Comentarista de Política da Globo News)
Luciano Martins (Colunista do Jornal Brasil Econômico Sobre Sustentabilidade)
Luis Nassif (Diretor Superintendente da Agência Dinheiro Vivo)

Representantes de Partidos
Plínio de Arruda Sampaio (PSOL)
Francisco Graziano (PSDB)
Carlos Minc (PT)
João Paulo Capobianco (PV)


19h00 – 21h00

Debate
“Como o Pré-Sal Contribui para a Sustentabilidade?”

Palestrante
José Sergio Gabrielli de Azevedo (Presidente da Petrobras)

12/05

18h30 – 20h00

Exibição do filme “Eye of the Future”, de Catherine Cunningham, seguido do debate: "Fronteiras da Sustentabilidade: o que Está Funcionando em Empresas de Liderança Global e o que se Espera de Líderes Governamentais Globais?”


13/05

18h30 – 20h00

Lançamento do livro “Amor e Poder”, de Adam Kahane

14/05

9h00 – 11h00

Plenária Ethos – “O Caminho Adiante”

Moderador
Paulo Itacarambi (Vice Presidente Executivo do Instituto Ethos)

Debatedores
Aron Cramer (CEO do Business for Social Responsibility)
Ernst Ligteringen (CEO do Global Reporting Initiative – GRI)
Simon Zadek (Senior Fellow da John F. Kennedy School of Government na Harvard University)

11h30 – 13h00

Agenda de Compromissos Empresariais para o Desenvolvimento Sustentável - Lançamento do “Fórum Empresarial de Apoio à Cidade de São Paulo”

Palestrantes
André Trigueiro (Jornalista Âncora do Programa “Cidades e Soluções” no Canal Futura)
Oded Grajew (Presidente do Instituto Ethos e Coordenador do Movimento Nossa São Paulo)
Paulo Itacarambi (Vice Presidente Executivo do Instituto Ethos)


E demais atividades do dia 14/05, sob disponibilidade de vaga. Veja na entrada da sala da atividade que você escolheu.



11h30 – 13h00

Atividade Organizada pelo PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS
Contribuição dos membros do Pacto Global para as MDM na América Latina

Palestrantes
Diana Chávez (Diretora do Centro de Suporte de Los Angeles do Pacto Global da ONU)
Soren Petersen (Líder da Rede do Pacto Global; Parcerias, Gerenciamento de Participantes e Comunicação em Progresso)

11h30 – 13h00

ATIVIDADE INTERNACIONAL
“Repensando a Propriedade do Negócio e a Governança Corporativa no Século XXI”

Palestrantes
Allen White (Vice Presidente do Tellus Institute; Co-fundador e Ex-presidente e CEO do Global Reporting Initiative)
Carlos Eduardo Lessa Brandão (Membro do Conselho de Administração do IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa)
Simon Zadek (Senior Fellow da John F. Kennedy School of Government na Harvard University)

14h30 – 16h00

Atividade Organizada pelo BUSINESS FOR SOCIAL RESPONSIBILITY (BSR)
Workshop Interativo “Futuros de Sustentabilidade”

Palestrante
Aron Cramer (CEO do Business for Social Responsibility)

14h30 – 16h00

ATIVIDADE INTERNACIONAL
Índices, Rankings, Listas: Por Que Medir Sustentabilidade Empresarial? O Presente e o Futuro das Ferramentas de Análises Comparativas no Brasil e no Mundo.

Palestrantes
Paulo Itacarambi (Vice Presidente Executivo do Instituto Ethos)
Simon Zadek (Senior Fellow da John F. Kennedy School of Government na Harvard Universit

Fonte: http://www.ethos.org.br/CI2010/

Políticas públicas, juventude e trabalho

Convite

Políticas públicas, juventude e trabalho
Para lembrar o Dia do Trabalho

Todo ano, durante o mês de maio, a equipe do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho organiza atividades para lembrar o Dia do Trabalho. A temática, como não poderia deixar de ser, é sempre o trabalho tomado em suas múltiplas dimensões. Para este ano, organizamos uma mesa-redonda que terá como tema de debate as diversas realidades da juventude brasileira e suas relações com o mundo do trabalho e as políticas públicas de trabalho, emprego e renda voltadas aos jovens.

Participantes:
Helena Wendel Abramo – Socióloga da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Consultora de projetos de pesquisa sobre juventude, entre eles “Juventudes Sul-Americanas”, do IBASE e do Instituto Pólis.
Kimi Aparecida Tomizaki – Professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE-USP).
Neiva dos Santos Cunha – Coordenadora Técnica Social do Centro de Formação e Integração Social de São Bernardo do Campo (CAMP SBC).

Coordenação:
Anete Souza Farina – Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT)

Data e local:
10 de maio de 2010 (segunda-feira) das 14h às 17h
Auditório Aurora Furtado do Instituto de Psicologia da USP
Av. Prof. Mello Moraes, 1721, bloco B, sala 20, Cidade Universitária, São Paulo, SP

O evento é gratuito e não haverá inscrições prévias

Promoção:

Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho – CPAT
Departamento de Psicologia Social do Trabalho, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo